quarta-feira, novembro 30, 2005

Arruada do 1ª de Dezembro-Tradição imemorial é esta noite.

Faltam poucas horas para voltarmos a "encorrer"os Espanhóis.
O ritual repete-se todos os anos na cidade do Fundão e ninguém sabe desde quando é que ás 12 badaladas da meia-noite de 30 de Novembro para 1 de Dezembro a população sai à rua para celebrar a Nação.
É uma manifestação colectiva que já na década de 50 existia, desde há muitos anos. 
Hoje e em cada ano que passa ganha novos adeptos.
O cortejo, em memória da Restauração é também um encontro de gerações e no século XXI,são muitos os jovens que já sabem entoar as quadras do hino do "homem das Barbas Ruças" e o hino da Restauração.
As palavras são sempre acompanhadas pela Banda Filarmónica de Aldeia Nova do Cabo.
Ainda não há muitos anos era a Banda da Associação Desportiva do Fundão a dar o mote para celebrar a independência nacional.
Perdeu-se a banda da ADF mas não morreu a tradição nem o estribilho e por isso,o Fundão volta esta noite a celebrar PORTUGAL.

terça-feira, novembro 29, 2005

O Pedro que afinal é Paulo.

É uma história surreal, mas reveladora da competência dos funcionários que os serviços desconcentrados do Ministério da Justiça têm por esse país fora. Então é assim: O Pedro, quando nasceu foi registado com esse nome... tirou o BI, renovou-o e coiso e tal mas nunca se tinha dado conta de que a inteligência que o registou na conservatória lhe atribuiu outro nome, que não aquele que a família tinha escolhido. Resultado: O rapaz foi há dias pedir uma certidão de nascimento e, na cidade berço, disseram-lhe que afinal não era Pedro mas Paulo. Agora, o indivíduo tem um molho de problemas para resolver e na conservatória da sua terra Natal, ninguém apresenta solução para o imbróglio, nem assumem o erro. A ordem é para o Pedro solicitar aos serviços do Ministério da Justiça a mudança de nome de Paulo para Pedro, lol. Agora digam lá que este não é um verdadeiro flagrante delírio da nossa administração pública. Bom, temos um Pedro que anos depois de nascer descobre que afinal é Paulo, mas só nos arquivos de registo civil... Enfim, vamos divulgar o caso que envergonha qualquer Portuga. Talvez o Provedor de Justiça ou alguém se dê conta desta falta de decoro.

segunda-feira, novembro 28, 2005

E a serra aqui tão perto # 2


Assim està o maior cartaz turistico de Portugal...
Para além da paisagem deslumbrante,já podem usufruir dos equipamentos da Turistrela...As pista abrem esta 3ªfeira( eu não tenho comissão,mas não quero que deixem de vir...,lol).

terça-feira, novembro 22, 2005

Desilusão

Hoje trago-vos palavras de desalento,decepção,desilusão por tudo aquilo em que apostei.
Parece um discurso miserabilista,acredito.Aceito que assim me interpretem.Mas hoje,aliás,os dias tem sido pior que maus.Não imaginam o que é passar uma carreira a fazer fé num projecto que nasce torto e que tarda em se endireitar.O pior de tudo é quando concluimos que afinal gastamos anos das nossas vidas a dar o melhor por um projecto falhado.
Nestes momentos apetece-me desaparecer deste cantinho.Procurar quem me entenda.Abraçar novos desafios,pessoas,enfim....
Como eu preciso de uma palavra de encorajamento para fazer as malas(allô Art off Love!A frase é tua) e partir á conquista de novos horizontes.Talvez seja a monotonia dos dias...ainda que se diga que a vida de repórter é movimentada qb.Uma pessoa muito minha querida(Xana),ensinou-me um dia que devemos dar um novo rumo á vida,sempre que entramos em fase de saturação.Há muito que atingi esse estado de insatisfação,agora só não sei é se vou conseguir descobrir uma luz ao fundo do túnel...

segunda-feira, novembro 14, 2005

Á descoberta da Maúnça.

Hoje trago-vos uma proposta para um passeio em terras do xisto.Mas também pode ser por terras do castanheiro.Bonitas paisagens,mesmo estando a falar de uma zona que não foi poupada aos incêndios do último Verão.É um lugar onde reina o sossego.Até parece que estamos mais próximos do céu.A serra da Maúnça,no concelho do Fundão,fica entre a Gardunha e a Estrela.Chegar até lá não é dificil e quem tem boca vai a Roma.
Este lugar de encanto vale por tudo e agora com as cores do Outono,ninguém lhe fica indiferente.Depois tem a gastronomia a partir de produtos genuínos. E as pessoas...generosas, são de uma simplicidade ímpar.No sopé da Maúnça estão pequenos aglomerados habitacionais.É o caso do Açor,terra de gente boa e cheia de vontade de colocar a Maúnça na rota dos locais de passagem obrigatoria,se de turistas estivermos a falar.A confiança destas pessoas é salutar.Agarradas ás origens estas gentes acreditam nas potencialidades da sua terra.Ainda este fim de semana deram provas dessa confiança, ao realizarem mais uma mostra de artes e sabores da Maúnça.Entre a degustação e o divertimento,não faltaram as largas centenas de pessoas que acreditam poder fazer do Açor uma aldeia cheia de vida.A mostra voltou a ser um verdadeiro sucesso e neste capitulo,permitam-me que deixe aqui uma palavra de gratidão para com o Daniel Gil.O rosto dos pastores do Açor é também um exemplo de tenacidade,uma prova de como quando temos força de vontade,o sonho está ali,ao virar da esquina.A mostra de artes e sabores da Maúnça é um bom exemplo.Fica o registo e o convite para a descoberta de mais este cantinho da Beira Interior.BOA SEMANA.

sexta-feira, novembro 11, 2005

Quanta saudade

"Há pessoas que passam e levam um pouco de nós,outras passam e deixam um pouco de si".A frase está gasta mas cai-me que nem uma luva se pensar que Xana é demasiado importante para os dias de uma mulher sempre apaixonada por alguma coisa que a faça continuar a sorrir e a esquecer que muitas vezes a vida é madrasta.
Não é fácil gerir um turbilhão de sentimentos e sobressaltos,quando para sobreviver a tanta emoção temos de nos agarrar a algo de muito positivo.É aqui que a figura de Xana ganha uma dimensão incomensurável.A grandeza da pessoa é de tal ordem que me é cada vez mais dificil gerir a distância que desde sempre nos separa.É bem verdade que a saudade pode sempre ser compensada com mais uma mensagem,um telefonema ...mas isso já não chega para apagar a dimensão do desejo de estarmos juntos.
Apesar da amargura que é ter de passar os dias longe dos olhos de Xana,agarro-me ao facto de saber que afinal Xana não é uma pessoa qualquer,mais uma amizade igual a tantas outras que cruzam as nossas vidas...Xana é tão especial que não caberiam na rede todos os sinónimos que ajudam a dizer o quanto queremos uma pessoa.BOM DIA XANA.

domingo, novembro 06, 2005

Ao DOMINGO

Ao domingo gosto do vale dos lençóis,de
Dormir até os olhos me doerem
Ler o livro que tenho á cabeceira,pegar no inevitável e rir sem parar.
Tomar uma banho longa duração,ouvir música ainda mais alto que nos outros dias
Passar a manhã a cantarolar,mesmo que a vida de casa me atrase no passeio.
Ao domingo adoro ir a uma esplanada,desfolhar os jornais e beber um cai bem.
Depois,reune-se a famelga e vamos ao passeio que se faz tarde.
Também sou viciada em almoçar fora(ao domingo)
Mas o meu dia fica melhor,quando sinto a paixão
Estar apaixonado faz-nos rir...dá-nos mais alegria
É por isso que este domingo ainda tem mais sabor
Bora lá....saltar,correr,ver o colorido deste Outono na Beira Interior.
Beijos e Boa Semana..

quarta-feira, novembro 02, 2005

Medo a quanto obrigas.

Chamava-se Rosa, mas poderia ser Maria, Madalena, Sofia... Tinha 31 anos e foi brutalmente assassinada pelo companheiro. A Rosa estava no lugar do costume. Era de manhã e hoje preparava-se para deixar a sua menina de 2,5 anos no infantario. Hoje era o último dia de vida de Rosa, mas ela não sabia. Jaime tinha prometido e fê-lo. Hoje, esperou a familia e em pleno parque de estacionamento degolou a sua companheira de outras lutas. A mulher que desde que ficou grávida era,continuadamente, agredida física e verbalmente. Sim porque a agressão psicológica é muitas vezes mais penosa que um estalo,um pontapé... Enfim.
Esta é uma historia comum. INFELIZMENTE, não faltam situações de faca e alguidar num país de brandos costumes e em que a justiça é também branda. Os contornos deste caso não vou contá-los aqui, são do pior...e afinal não afectam apenas pessoas de fracos recursos,baixa escolaridade,gente pobre de espírito. Aliás, só trago aqui este crime de violência porque me impressiona. Revolta-me saber que no século XXI, ainda haja mulheres que por amor e mêdo se deixam violentar desta maneira . Também me revolta saber que AFINAL nem sempre as linhas de apoio à vítima, os tribunais e sei lá mais o quê, não funcionam. É tudo confrangedor.DESCULPEM o tempo que vos roubei, mas POR FAVOR não se calem quando derem conta de sinais de violência...situações de violência doméstica que quase SEMPRE acabam em tragédia. E eu que pensava que ninguém morre aos 31 anos... muito menos vítima de um crime horrendo.

terça-feira, novembro 01, 2005

Castelo Rodrigo

Castelo Rodrigo é uma das 10 aldeias históricas de Portugal e merece a nossa visita. Há 10 anos que lá não ia e hoje descobri como a recuperação de coberturas e fachadas deu ainda mais valor ao património, já por si rico, que existe na muralha daquela localidade.
Castelo Rodrigo é um bom exemplo daquilo que os agentes locais podem fazer pela salvaguarda de uma identidade. Os materiais utilizados na recuperação do núcleo histórico são homogéneos e isso agradou-me sobremaneira. Fiquei de tal forma bem impressionada que me apetece perguntar ao arquitecto responsável pelo projecto de recuperação de Castelo Novo, onde se inspirou para mandar colorir as portas das casas da minha aldeia cada uma de sua cor...
Mas na visita a Castelo Rodrigo um senão. Num dia feriado e com turistas de todo o lado na aldeia histórica, não se percebe por que razão não havia um lugar para saborear um simples petisco...assim não! E logo numa região onde o bom queijo e vinho são divinais.
Numa deslocação à Beira Interior, Castelo Rodrigo merece visita OBRIGATÓRIA.