terça-feira, fevereiro 28, 2006

Não apetece escrever

Apetece sonhar...
Pensar que amanhã voltamos a encontar o caminho da felicidade
A mesma que marcou os últimos dias de Outono...
Era uma manhã soalheira,o mar estava tranquílo...como nós
Foi um momento mágico
Apetece repetir
Tenho tantas saudades...
Já passaram tantos dias...
Parecem anos
De espera
Pelo nosso momento de felicidade.

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Vestida de branco...


Assim está a bonita serra da Gardunha.
E aqui só estamos a mil metros de altitude,a caminho de Alcongosta.
No alto dos seus 1229 m a beleza parece ainda maior...
A encosta de Castelo Novo também está magnífica...eu vi...
estive lá ontém.
É uma traquilidade absoluta...a bela adormecida que no Verão se vestiu de negro,está agora branca...pura... como o ar que respiramos na
Gardunha.É gelido mas inspira-nos...
Apetece nem saír de lá...da serra
Apetece voltar aos trilhos de outros tempos...
Quando a Gardunha ainda era Verde...mais bonita...mais princeza.
Bem Hajas Nuno,por esta foto...Linda!!!

domingo, fevereiro 12, 2006

O Homem MAIOR.


Hoje é o teu dia...
O nosso dia,de festa!
A partir de hoje fazes parte de uma família maior...
Bem vindo ao reino católico...
Por aqui,podes sempre ACREDITAR
Vais ser FELIZ.
Tu mereces...mereces TUDO
E nós estamos orgulhosos de ter
UM HOMEM MAIOR
Parabéns Francis!

sábado, fevereiro 04, 2006

O que é bom acaba depressa.# 3

Pronto!Já não era sem tempo.Pela última vez,vamos deixar mais umas notas do bloco de anotações da ilha de Santiago:Lá embaixo vemos a Cidade Velha,primeia capital das ilhas de Cabo Verde,A memória viva de um passado também escrito em Português.Nesta vila que quer voltar a ser sede de concelho,encontramos a Fortaleza de São Filipe, recuperada pelo estado espanhol,uma igreja e uma escolas feitas por Portugueses,um convento e uma Sé Catedral.A Vila é bastante acolhedora e tem postos de venda de artesanato muito bonito.Na Cidade Velha como em toda a ilha,encontramos inúmeros produtos Portugueses...A presença lusa é uma realidade,nos hotéis foi fácil encontrar técnicos de várias áreas que estão em Cabo Verde em missão.Aqueles povos tém um modo de vida muito próprio e muitos dos bairros da ilha são em tudo semelhantes aos aglomerados de caboverdianos que temos nos arredores de Lisboa.A vida não é barata,dado que o escudo caboverdiano equivale ao euro.Os jornalistas e agentes económicos acreditam que o país está a crescer...efectivamente,começou agora a era do betão,o investimento estrangeiro no território também está a crescer,as empresas passaram a ter cotação na bolsa...um conjunto de circunstâncias que fazem aquele povo crêr que daqui a alguns anos pode igualar com uma grande potência... a ver vamos!