domingo, agosto 10, 2014

Galeria de Arte imortaliza pintura de Manuela Justino

Um conjunto de obras de pintura e tapeçaria da malograda Manuela Justino integram a Galaria de Arte Manuela Justino que foi recentemente inaugurada na Aldeia Histórica de Castelo Novo. 

O espaço resulta do aproveitamento de uma antiga cavalariça e fica no número 13 da rua professor Gonçalves Coucho, perto da Associação Sociocultural de Castelo Novo. Um investimento de 100 mil euros, 60% dos quais financiados pelo PRODER.











Um protocolo entre a família da pintora falecida há meio ano e o município do Fundão permitiu a cedência, por um período de trinta anos, de uma parte da obra da pintora e tapeceira que adoptou Castelo Novo como sua terra de berço. O amor à Beira Baixa e em particular a Castelo Novo e Alpedrinha foi sublinhado pela filha, Sofia Durão, à margem da cerimónia de inauguração da Galeria de Arte. Um momento de saudade e elogio público à obra da pintora cuja última exposição realizada em vida aconteceu no Palácio do Picadeiro em Alpedrinha. “Sopro de Água” foi o título da última mostra de arte na Beira Baixa. “A homenagem às fontes, chafarizes e correntes de água” também acontece na mostra permanente da Galeria agora inaugurada. 

A relação de Manuela Justino com a água e outras fontes da natureza foi sublinhada por Celeste Capelo, presidente da Sociedade dos Amigos do Museu Francisco Tavares Proença Júnior de Castelo Branco. “Presto homenagem à autarquia do Fundão por se lembrar dos seus filhos, perpetuando-os através destas iniciativas”, declarou a também amiga de Manuela Justino. Também Aida Rechena, diretora do Museu de Castelo Branco sublinhou as qualidades artísticas e pessoais da pintora prematuramente falecida. Tinha 56 anos! E verbalizou a “forte” relação de proximidade da artista com “a paisagem e o impressionismo abstracto” da obra assim descrita pela própria Manuela Justino. 

Uma mulher “generosa, sensível para as questões feministas como se vê na tapeçaria e nos seus quadros” que também estão expostos no Museu Tavares Proença Júnior. O valor artístico de Manuela Justino levará a Câmara Municipal do Fundão (CMF) a atribuir-lhe, a título póstumo, a medalha de ouro da cidade do Fundão. Paulo Fernandes que é presidente da autarquia anunciou-o no dia em que também o município do Fundão prestou tributo à autora “de uma obra extraordinária que nos foi legada pela família de um nome maior nas artes plásticas”, referiu sobre Manuela Justino. A Galeria de Arte estará aberta nos mesmos dias e horários do posto de turismo.

Além da inauguração da Galeria Manuela Justino, o dia 26 de julho ficou marcado em Castelo Novo pela inauguração da renovada área de lazer da freguesia. Um investimento de “quinze mil euros”, integralmente suportados pela junta de freguesia local e que se traduzem na abertura de uma piscina natural na ribeira de Alpreade. 

Paralelamente foram inaugurados cerca de três quilómetros de percurso pedestre à volta da Aldeia Histórica que permitirão ao visitante inteirar-se da riqueza “do caminho da fonte da cale, enquanto sítio emblemático, a Casa da Comenda e o Parque do Alardo, entre outros”. Trata-se de um percurso que ajuda a compreender a malha urbana da localidade. Em termos turísticos, Castelo Novo aguarda a preservação da antiga fábrica dos cobertores pois a CMF “está a concluir as negociações para a aquisição” do imóvel localizado perto da ribeira de Alpreade. 

De acordo com Paulo Fernandes, o espaço funcionará como centro de apoio à zona ribeirinha e um complemento à divulgação museológica do património de Castelo Novo. “Vamos procurar parceiros privados para desenvolver a componente de turismo na natureza junto à zona ribeirinha”, acrescentou Paulo Fernandes.

Publicado no Jornal do Fundão, edição de 7 de agosto 1014
A Notícia também aqui http://www.rcb-radiocovadabeira.pt/pag/23152